setembro 04, 2009

O amor platônico do porquinho Prático

Lilian era da escola, a diretora
Tinha um olhar duro, inquiridor,
Além da fama de disciplinadora.
Mas, um dia, do outro lado do muro

Alguém de nome “Prático” a observava
Escondido nas sombras de uma ruína.
Prático por Lilian apaixonado estava.
Contudo, Lilian gripara e temia a gripe suína.

Mas, Prático que via em Lilian uma santa,
Infelizmente chegara na hora mais errada...
E aí, numa noite de descuido virou janta

Do lobo mau, que por ali fazia caminhada
A fim de manter sua forma física pronta,
Já que tinha colesterol em taxa elevada.

Élcio

5 comentários:

  1. A Lílian teme a gripe suína e o Prático paga o pato,ou melhor,o lombo,nas garras do lobo de colesterol alto.Aposto que a diretora nem se deu conta do pobre!Olhar duro,inquiridor,não devia ser "essas coisas" de mulher,apenas uma megera disfarçada.Se eu tivesse um Prático eu o protegiria de todo e qualquer lobo.Ai,ai,mal consigo me safar de um!
    Bjs,querido poeta.Esse seu post está terno e triste ao mesmo tempo,mas sempre muito bom de se ler.

    ResponderExcluir
  2. rs!!
    Me sinto um pouco Lilian, pobre pratico acabou nas garras do Lobo Mau...rs

    bjos
    Deh
    solemescorpiao.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. de qualquer forma o porco se vingou...o lobo pensou que levou vantagem ...se ferrou e pra rimar :o colesterol aumentou!!!
    Abraços, amigo.

    ResponderExcluir
  4. Meio lúdico, meio nostálgico, bom de ler. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Então...
    O lobo ,dançou!

    ResponderExcluir

I feel that you want to say something!